III. Atividade, tecnologia e bem-estar

III. Atividade, tecnologia e bem-estar

Menu

As políticas públicas podem modificar o contexto físico e social das cidades, favorecendo o envelhecimento ativo.

Cidades amigáveis.

Perante alterações do design urbano e das políticas sociais, é possível reduzir e adiar a incapacidade, evitar as mortes prematuras e conseguir que um grande número de pessoas idosas participem ativamente na sociedade e melhorem a sua qualidade vida, o que incide numa diminuição da utilização dos serviços de saúde e sociais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) iniciou um movimento chamado “Cidades e Comunidades Amigáveis com as Pessoas Idosas”.

Exemplo de cidade amigável.

button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad
button_ciudad

Caminhos alternativos

Conseguir um ambiente urbano inclusivo e acessível, que fomente o envelhecimento de forma ativa e enriqueça a qualidade de vida dos seus cidadãos.

Serviço de atividades e participação social

Bibliotecas, centros de atividades socioculturais, formação e lazer ativo.

Espaço para a atividade física e relações sociais

Serviço de lembretes

Informação oferecida de maneira amigável e personalizada, em vez de serviços de resposta automática; informação escrita bem visível (letras grandes) e em linguagem clara.

Veículos partilhados

Pensados para facilitar a mobilidade das pessoas idosas.

Passagens de peões acessíveis

Que qualquer pessoa possa interagir sem dificuldades, em condições de comodidade, segurança, igualdade e autonomia, independentemente das suas capacidades físicas ou sensoriais.

Edifícios e habitações acessíveis

Para pessoas com incapacidade/mobilidade reduzida, com: elevadores, escadas mecânicas, rampas, corredores e entradas amplas (com espaço para cadeiras de rodas), escadas adequadas (nem demasiado altas nem empinadas) com corrimões, solos antiderrapantes...

Assentos ao ar livre

Zonas de descanso com assentos cómodos e acessíveis.

Transporte urbano inteligente

Seguro, cómodo, acessível, que detete que as pessoas de idade se sentaram antes de o veículo voltar a arrancar e com assentos prioritariamente destinados a elas.

Passeios amigáveis

Amplos, com manutenção em dia, pavimentados e bem iluminados.

Casas-de-banho públicas adaptadas

Casas-de-banho limpas, estrategicamente localizadas, corretamente sinalizadas, acessíveis a pessoas incapacitadas ou com mobilidade reduzida.

Serviços de saúde

Oferecer uma série de serviços de apoio comunitário e de saúde para promover, manter, e reestabelecer a saúde, assim como o cuidado domiciliário, que incluem serviços de saúde, cuidado pessoal e tarefas domésticas.

Muitas cidades espanholas participam neste
movimento. Descubra as cidades
amigáveis em Espanha:

Ver cidades
Curiosidadecuriosidad

As infraestruturas de mobilidade urbana vertical como elementos inclusivos para as pessoas idosas.

Ver vídeo
boton_play

Juan José Pons Izquierdo, professor catedrático da Universidade de Navarra, expõe neste vídeo a sua investigação, que se centra na importância das infraestruturas de mobilidade urbana vertical como elementos integradores e inclusivos para os idosos.

Mais informações
Menos informações

A possibilidade de as pessoas idosas levarem uma vida o mais ativa possível do ponto de vista das suas deslocações e mobilidade urbana é fundamental, essencial para o seu bem-estar psicológico. O objetivo geral do trabalho é realizar um estudo sobre o impacto que as infraestruturas de mobilidade vertical ou IMUV (elevadores, rampas, escadas mecânicas, funiculares e teleféricos) têm na vida quotidiana das pessoas idosas que vivem em bairros onde a mobilidade é especialmente complicada devido à existência de desníveis topográficos.